HÚMUS — FESTIVAL LITERÁRIO DE GUIMARÃES

O espólio

Sociedade Martins Sarmento

A Sociedade Martins Sarmento, onde se encontra depositado o espólio de Raul Brandão, é uma instituição cultural de utilidade pública sem fins lucrativos fundada em Guimarães em 1881, em homenagem ao arqueólogo e etnógrafo vimaranense Francisco Martins Sarmento, cujos estudos científicos atraíram para Guimarães a atenção dos principais centros da cultura europeia do seu tempo.

O Museu da Sociedade Martins Sarmento é um dos mais antigos e mais importantes museus arqueológicos portugueses. A Biblioteca da Sociedade dispõe de perto de cem mil volumes. A Hemeroteca da Sociedade integra as coleções dos jornais editados em Guimarães desde 1822. No arquivo documental da Sociedade estão depositadas cerca de trinta mil peças. A Sociedade tem sob sua responsabilidade a guarda, a conservação e a supervisão técnica e científica das estações arqueológicas da Citânia de Briteiros e do Castro de Sabroso. É também proprietária de alguns monumentos arqueológicos. O órgão da SMS é a Revista de Guimarães, uma das mais antigas e prestigiadas publicações periódicas de caráter científico portuguesas (publica-se desde 1884).

Francisco Martins Sarmento

por Raul Brandão

«O sábio, e o arqueólogo sobretudo, sempre me apareceram sob este aspeto singular: homens que, à força de conviverem com a ciência hirta e as secas pedras, tinham endurecido o coração; homens de método e experiência, desavindos de tudo o que na vida e na natureza é simples e emotivo: árvores, amores, sol, o quinhão dos poetas enfim. Depois, porém, que conheci Martins Sarmento comecei a duvidar: estava diante dum sábio a valer, e ao mesmo tempo — o que é mais raro e mais apreciável — dum grande homem de coração e caráter.

Guimarães deve-lhe muito: escolas, instrução, e essa admirável Biblioteca Martins Sarmento, que tem, ao contrário de quantas outras eu conheço, a extraordinária opinião de que os livros se fizeram para se ler e assim os empresta a quem os queira, sócio ou não.

E este foi o pensamento dominante de toda a sua vida — instruir. Por isso Martins Sarmento tem um valor mais alto, mais sobre: além de um sábio e de um grande coração, foi um homem que olhou para o futuro. Fundando escolas, dedicando a sua vida inteira à instrução, trabalhou para os homens de amanhã.

E eles decerto não o esquecerão.»

«Francisco Martins Sarmento», Revista de Guimarães, número especial.

O espólio

Raul Brandão

Clique nas imagens e veja alguns exemplos dos escritos (cartas, entradas diarísticas, páginas de manuscritos, fotografias, entre outros) que compõem o espólio de Raul Brandão, depositado na Sociedade Martins Sarmento.

FecharClose
Certidão de batismo Raul Brandão. 1870. © Espólio de Raul Brandão | SMS

1/16
Certidão de batismo Raul Brandão. 1870. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Carta de Teixeira de Pascoaes para Raul Brandão. 1914. © Espólio de Raul Brandão | SMS

2/16
Carta de Teixeira de Pascoaes para Raul Brandão. 1914. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Maria Angelina e Raul Brandão. Sem data. © Espólio de Raul Brandão | SMS

3/16
Maria Angelina e Raul Brandão. Sem data. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Capa do programa da interpretação da peça «O Gebo e a Sombra», de Raul Brandão, levada à cena pelo Teatro Experimental do Porto. 1966. © Espólio de Raul Brandão | SMS

4/16
Capa do programa da interpretação da peça «O Gebo e a Sombra», de Raul Brandão, levada à cena pelo Teatro Experimental do Porto. 1966. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Raul Brandão. Circa 1893. © Espólio de Raul Brandão | SMS

5/16
Raul Brandão. Circa 1893. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Contrato relativo á 2.ª edição do primeiro volume das Memórias. 1919. © Espólio de Raul Brandão | SMS

6/16
Contrato relativo á 2.ª edição do primeiro volume das Memórias. 1919. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Página do manuscrito das <i>Memórias</i>, com o título «O que eu vi e ouvi (Do meu diário)». Período 1910-23. © Espólio de Raul Brandão | SMS

7/16
Página do manuscrito das Memórias, com o título «O que eu vi e ouvi (Do meu diário)». Período 1910-23. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Frente de um postal de Columbano Bordalo Pinheiro para Raul Brandão. 1898. © Espólio de Raul Brandão | SMS

8/16
Frente de um postal de Columbano Bordalo Pinheiro para Raul Brandão. 1898. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Carta de Raul Brandão para Maria Angelina. 1896. © Espólio de Raul Brandão | SMS

9/16
Carta de Raul Brandão para Maria Angelina. 1896. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Carta de Jaime Cortesão para Raul Brandão. Do período 1922-26. © Espólio de Raul Brandão | SMS

10/16
Carta de Jaime Cortesão para Raul Brandão. Do período 1922-26. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Página do manuscrito das <i>Memórias</i>, com o título «Vida Militar». Período 1910-23. © Espólio de Raul Brandão | SMS

11/16
Página do manuscrito das Memórias, com o título «Vida Militar». Período 1910-23. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Página de um dos seis cadernos de apontamentos para <i>As Ilhas Desconhecidas</i>, com a palavra «Madeira» no cabeçalho. 1924. © Espólio de Raul Brandão | SMS

12/16
Página de um dos seis cadernos de apontamentos para As Ilhas Desconhecidas, com a palavra «Madeira» no cabeçalho. 1924. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Bilhete de Leitor da Biblioteca Nacional. 1919. © Espólio de Raul Brandão | SMS

13/16
Bilhete de Leitor da Biblioteca Nacional. 1919. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Carta de Vitorino Nemésio para Raul Brandão. 1929. © Espólio de Raul Brandão | SMS

14/16
Carta de Vitorino Nemésio para Raul Brandão. 1929. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Página de apontamentos para as <i>Memórias</i>, com o título <i>Húmus</i> em evidência. Período 1900-22. © Espólio de Raul Brandão | SMS

15/16
Página de apontamentos para as Memórias, com o título Húmus em evidência. Período 1900-22. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Frente de um postal de Raul Brandão para Teixeira de Pascoaes. 1928. © Espólio de Raul Brandão | SMS

16/16
Frente de um postal de Raul Brandão para Teixeira de Pascoaes. 1928. © Espólio de Raul Brandão | SMS

Previous
Next
Raul Brandão